fbpx

Dicas de Logística: Como investir em tecnologia sem correr riscos

Tempo de leitura: 5 minutos.

A gama de produtos e serviços relacionados à tecnologia e inovação aumenta diariamente.  A todo momento, gestores e empresários são bombardeados com a oferta de soluções modernas e inovadoras, que – ao menos em tese – poderiam resolver boa parte de seus problemas corporativos.

Nesse cenário, é natural alguma desconfiança e relutância na hora de adquirir essas soluções. Afinal, em um contexto de crise e redução de custos, nenhuma empresa pode se dar ao luxo de investir recursos sem a garantia do retorno correspondente.

No setor de logística, como não poderia ser diferente. O medo da inovação “não dar certo” e a preocupação em perder dinheiro são sentimentos recorrentes entre os gestores.

Como diz Fabio Zerbinatti, Comercial da Serbom Armazéns:

14908170196712487“Infelizmente a logística no Brasil ainda é muitas vezes vista como um custo extra ao empreendimento. O responsável pela logística é relutante em adotar tecnologias e, por isso, as ações são muito mais corretivas do que
preventivas.”

Para mudar esse cenário e contribuir com a profissionalização do setor logístico no Brasil, neste texto vamos analisar o problema em detalhes e, mais que isso, mostrar como você pode perder o medo e investir com segurança.

Qual o momento certo para investir em inovação?

Trata-se de uma questão bastante séria e relevante. Por um lado, há o receio de aplicar recursos em uma tecnologia ainda não sedimentada e, consequentemente, “rasgar dinheiro”. Por outro, existe a necessidade de modernizar a gestão da empresa, sob pena de perder vantagem competitiva perante o mercado e a concorrência.

Quando tratamos do mercado de logística, onde agilidade e eficiência são as palavras de ordem, aguardar tempo demasiado pode representar perda de clientes e prejuízo. Ainda assim, nem sempre ser pioneiro na adesão e implantação de novas tecnologias se traduz no retorno financeiro correspondente.

Assim, é interessante se manter atento aos movimentos do mercado, de modo a verificar o caminho que está sendo seguido e as tendências na aplicação da tecnologia em logística. Com isso, é possível analisar o comportamento de determinada inovação e a reação do mercado à sua implantação, permitindo então decidir acerca de sua adoção.

Em resumo – e respondendo diretamente à pergunta formulada nesse tópico –, o momento correto para investir em inovação é quando o gestor se sentir plenamente seguro para tal, obviamente após ter analisado todas as variáveis que fazem parte do processo decisório.

Ainda segundo Fabio Zerbinatti, o crescimento da competitividade e necessidade cada vez maior de soluções inovadoras estão “forçando” os gerentes de logística a investir em tecnologias modernas de software, como a própria AgileProcess.

Como perder o medo de investir em inovação?

A palavra-chave aqui é, como já mencionado, segurança. Nenhum gestor vai disponibilizar recursos de qualquer natureza sem estar completamente convencido do retorno que a empresa obterá com essa decisão.

Sob essa ótica, a questão passa a ser: como proporcionar essa segurança? Como o gestor de logística pode adquirir a confiança necessária para investir em inovação? Podemos identificar claramente alguns aspectos que vão ajudar nesse processo:

1. Conhecimento

Independentemente do setor, ninguém vai aplicar qualquer recurso em um produto ou serviço sobre o qual não possua conhecimento. É claro que, em se tratando de inovação e tecnologia, não se pode esperar que o gestor detenha domínio completo da solução oferecida.

No entanto, é desejado que se busque um mínimo de informação acerca do que está sendo oferecido, o que vai permitir a realização de questionamentos apropriados e a convicção sobre as vantagens do produto ou serviço. Demonstrando que não é totalmente leigo no assunto, o gestor angaria respeito do mercado – incluindo os fornecedores – e obtém segurança na decisão.

2. Histórico

Em qualquer ramo de atividade, não se adquire segurança instantaneamente, de um momento para outro. Muitas vezes, é preciso experimentar, cometer alguns erros, correr riscos calculados e avaliar as respostas para, então, poder decidir com subsídios mais concretos.

Não é diferente quando se fala em inovação e logística. A história de seus investimentos na área permitirá ao gestor fazer estudos comparativos e avaliar com maior precisão sobre o que está sendo proposto no momento.

A segurança, aqui, surge como sinônimo de experiência e aprendizado, qualidades que só podem ser obtidas com o tempo e os projetos passados.

3. Parcerias de confiança

Também em logística, nenhuma empresa é uma ilha que pode sobreviver de maneira isolada e independente. Quando se trata de inovação, identificar empresas que possam efetivamente atuar como parceiras e consultoras de confiança é essencial para reduzir riscos e maximizar resultados.

Com isso, o gestor passa a contar com um aliado precioso, que poderá municiar a empresa com elementos para a tomada de decisão.

Mais que isso, a presença dessas empresas vai ajudar na obtenção de conhecimento, não por acaso o primeiro item dos que citamos a respeito da conquista de segurança pelo gestor de logística.

4. Comparação

Devido à grande variedade de ferramentas e metodologias dispníveis no mercado, atualmente existem soluções para praticamente todos os desafios relacionados à logísica – de redução de custos à automação de alertas de entregas.

A escolha correta de qual dessas soluções pode ser a chave para o sucesso do investimento em inovação.

Por isso, nunca desconsidere a importância de estudar as diferentes ofertas, levando em consideração não somente os valores, mas também a qualidade e custo-benefício de uma.

Lembre-se, a escolha certa será aquela que melhor se alinhar com as necessidades específicas do seu negócio. Para ficar mais fácil, segue uma lista do que você não deve deixar de lado na hora de fazer esta comparação:

a) Tecnologias aplicadas: Linguagens de programação ultrapassadas podem demonstrar dificuldades na evolução da solução. Neste caso,  solicite mais informações técnicas do TI da empresa.

b) Capacidade de Inovação: Verificar se a ferramenta está alinhada com a principais inovações oferecidas no setor, como aprendizado automatizado (machine learning) e disponibilidade online (nuvem) – sistema sem versão online pode resultar em grandes custos com estrutura e pessoal técnico. Cuidado!

c) Funcionalidades: Os recursos apresentados são os que você necessita? Compare os recursos das ferramentas e conheça a dificuldade de operá-los.

e) Acesso á equipe: Procure verificar a facilidade para acionar a equipe da empresa, seja comercial, suporte, engenheiros de software etc. Se o atendimento não for bom, na hora das dificuldades você pode perder um tempo precioso na resolução do problema.

f) Valores: Sim, o valor é muito importante na hora de escolher a sua solução para logística. No entanto, tenha certeza de estar comparando ofertas similares, como as mesmas funcionalidades e tecnologias.

Considerações finais

Investir em inovação é sempre, por sua própria natureza, uma escolha repleta de incertezas. Ainda assim, como mostramos no texto, é possível tomar decisões com base em informações concretas e objetivas.

Atuando dessa forma, o gestor reduz os riscos inerentes à mudança, ao mesmo tempo em que não fica refém de soluções obsoletas e que não conseguem oferecer o grau de modernidade exigido por clientes e pelo mercado em geral.

Quer saber mais sobre uma das principais inovações do setor logístico? Leia o nosso conteúso sobre como a Inteligência Artificial tem sido utilizado para reduzir custos e melhorar a eficiência dos processos de logística. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *