fbpx

Principais desafios da roteirização no food service

Tempo de leitura: 5 minutos.

Para que o food service seja eficiente, além de oferecer produtos de qualidade, é necessário muita organização. Além de cumprir os prazos propostos, uma logística bem planejada pode reduzir custos, melhorar o capital de giro e eliminar erros do processo. Para que tudo isso seja possível, é preciso roteirizar a entrega das encomendas.

A roteirização no food service proporciona um serviço personalizado de planejamento que funciona como um guia para os motoristas. Mas como isso funciona na prática? Antes de serem definidas, as rotas oferecidas por esse tipo de plataforma passam pela análise de um sistema com o objetivo de melhorar as estratégias para a entrega e corrigir possíveis erros no desenvolvimento da rota mais eficiente. Ficou interessado neste tema? Então continue a leitura para saber mais.

Food service: fatores que atraem os clientes para esse tipo de serviço

Os números de uma pesquisa do site Reclame Aqui demonstram o quão desafiador e difícil se tornou fazer uma entrega eficiente — em todos os segmentos, inclusive o de food service. 

Em 2018, o site, que é especializado em defesa do consumidor, revelou que mais de 90 mil consumidores registraram reclamações de atraso na entrega de seus produtos. Quando esse indicador é comparado ao ano de 2017, observa-se um aumento de 34% nas reclamações.

Apesar do número elevado de reclamações de atraso nas entregas, cada vez mais consumidores estão procurando os serviços de compra online e food service devido ao cotidiano corrido. A busca por essas alternativas é motivada pela praticidade e pela rapidez no atendimento que essas entregas propiciam ao cliente.

Embora o consumidor conte com todas essas facilidades, existem alguns desafios para o trabalho de roteirização do food service. Planejar uma rota viável, mais curta e eficiente para esse tipo de mercado não é uma tarefa fácil.  

 

Roteirização no food service: principais desafios do segmento

O transporte dos produtos de food service demanda uma logística bem planejada e de qualidade. O tempo que o alimento leva para chegar até seu destino é um fator de extrema importância, já que os clientes só avaliam o serviço como sendo bom quando o fornecedor entrega dentro do tempo determinado ou em um tempo menor que o previsto.

A roteirização de entregas para esse segmento é uma fase pós-venda que afeta diretamente a experiência do cliente. Isso porque o consumidor de food service está ansioso para receber sua encomenda de acordo com o combinado. 

Para satisfazer essa demanda, é necessário ter muita eficiência nessa etapa. Caso isso não aconteça, o relacionamento entre a empresa e o consumidor é prejudicado e dificilmente terá continuidade ou passará por uma nova experiência.

Não importa o tamanho do seu negócio: planejar, acompanhar e avaliar a qualidade da logística evitará problemas com os seus clientes. Para que essa etapa de atendimento seja feita de forma satisfatória, é indispensável saber quais os desafios na roteirização do food service. 

Fabio Zerbinatti, comercial da Serbom Logística e usuário do AgileProcess, sistema de roteirização de rotas, destaca os quatro principais desafios para a roteirização em food service: 

 

1 – Otimização das entregas 

Existe um tempo máximo permitido para o alimento ficar no estabelecimento antes de ser comercializado para o cliente. Como se trata de comida, é preciso entregar no tempo certo e também na temperatura correta. Para atender a esses requisitos, é necessário despachar o pedido o mais rápido possível. 

Esse fator dificulta a roteirização e a eficiência nas entregas. “A cubagem x valor do pedido, na maioria da vezes, não é maximizada, pois nem sempre é possível sair para entregar com o veículo completamente carregado”, destaca Zerbinatti.

Além disso, a probabilidade de dois entregadores se cruzarem durante as entregas é maior nesse tipo de entrega. Encarar esse cenário sem ter o apoio da tecnologia faz com que a otimização das entregas seja menor e o custo para realizar esse serviço aumente. 

“Por isso a otimização de carga é um dos maiores desafios, já que o maior número de despachos possíveis num mesmo veículo para um ponto ou vários pontos de entrega em comum é muito difícil de ser alcançado”, explica o especialista.

Leia também: Tecnologia permite realizar entregas no mesmo dia da compra online

 

2 – Adequar o perfil da frota

No food service, existe uma frequência de pedidos específica para cada horário e dia da semana. Durante os dias úteis, o número de pedidos é maior no final da manhã e no começo da tarde e menor durante a noite. Nas sextas-feiras e finais de semana, esse cenário se inverte. Isso faz com que seja necessário variar o número de entregadores. Além disso, nem sempre a empresa conta com os mesmos funcionários para realizar as entregas.

“O horário é um grande desafio, pois normalmente os estabelecimentos recebem pedidos das 8h às 11h ou a partir das 17h”, explica Zerbinatti.

A rotatividade dos funcionários envolvidos nas entregas acaba dificultando a roteirização, principalmente pelo curto tempo de conhecimento das rotas, integração e uso do roteirizador de maneira correta e eficaz. Outro problema trazido pela flexibilidade de horários e rotatividade dos entregadores é que, muitas vezes, esses profissionais faltam ao trabalho ou a empresa registra “excesso” de funcionários em determinados horários.

 

4 – Tráfego intenso e acidentes no caminho

Esse problema atinge especificamente o food service nas grandes metrópoles. Nos horários de trânsito mais intenso, é natural as entregas atrasarem devido a esse movimento maior ou por causa de acidentes no caminho. 

Quanto ao tráfego mais intenso, esse fator até é possível de antecipar, mas os acidentes que podem ocorrer não podem ser previstos. Muitas vezes, um acidente bloqueia as vias que estão sendo usadas para realizar as entregas e prende o motorista no local, atrasando todo o planejamento feito anteriormente. 

Nessas ocasiões, a insatisfação do cliente é certa, pois o serviço foi ineficiente. O estabelecimento e os motoristas são prejudicados e todo planejamento vai por água abaixo.

Mesmo com esses desafios, a roteirização do food service garante maior eficácia e menor custo de realização das entregas. Isso acontece porque um roteirizador reduz a distância necessária para entrega, melhora o dimensionamento da carga e otimiza o uso da frota.

Além disso, essa facilidade tecnológica verifica os itens das entregas, priorizando-as de acordo com seus horários, identifica a equipe de separação, o responsável pela conferência, pelo transporte, mostra o percurso correto a ser feito pelo motorista e confirma o recebimento de cada pedido.

Leia também: Vale a pena terceirizar entregas por região?

 

5 – Otimize suas entregas com o AgileProcess 

A solução tecnológica AgileProcess é constituída de três ferramentas: roteirização de entregas, otimizador de frota e comprovador de entregas. Isso faz com que essa plataforma simplifique o processo logístico do food service e aumente sua eficácia do início ao fim.

Para Zerbinatti, a mobilidade é, sem dúvida, o maior diferencial da plataforma, pois permite o acompanhamento das entregas e a confirmação de recebimento por meio do smartphone. Para escolher uma ferramenta de roteirização que solucione esses desafios do food service é importante optar por uma solução que contemple os dois itens acima. “Acredito que hoje o Agile seja uma das melhores soluções para esse tipo de operação”, opina Zerbinatti. 

 

Quer utilizar a roteirização no food service? Então acesse nosso site ou converse com um de nossos especialistas e entenda como a solução AgileProcess pode se encaixar perfeitamente em seu negócio. Nossa solução irá proporcionar para a sua empresa qualidade, eficiência na logística e garantia de satisfação para os seus clientes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *