Como a logística reversa pode beneficiar sua empresa

Ações sustentáveis e de avanço ecologicamente responsável contribuem para o desenvolvimento econômico e social e melhoram a imagem da sua marca perante o mercado e a sociedade. Na área da logística, uma das principais tendências da sustentabilidade é a logística reversa.

A logística reversa é definida na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, como um um “instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.”

Na prática, o sistema envolve os processos e meios para recolher os materiais que já foram usados no processo produtivo ou pelo consumidor final, e faz o reaproveitamento ou descarte apropriado dos resíduos. O processo é dividido em três etapas básicas: o consumidor devolve o produto para o comerciante o comerciante repassa para o fabricante o fabricante dá a destinação adequada.

Áreas de atuação da logística reversa

A logística reversa é dividida em duas áreas que diferem na etapa do ciclo de vida útil do produto:

  • Logística reversa de pós-vendaOcorre quando a mercadoria retorna à cadeia produtiva por meio da devolução por defeitos de fabricação, avarias da mercadoria ou da embalagem, ou devido a erros de expedição. Também inclui recall e o retorno de mercadorias para substituição de componentes e demais serviços de manutenção.
  • Logística reversa de pós-consumo Ocorre quando o produto já foi adquirido, usado e descartado pelo consumidor. Diz respeito ao encaminhamento para reciclagem, reaproveitamento ou descarte correto dos resíduos.

Por que é importante investir em logística reversa?

Além de garantir a conformidade com a legislação e impactar na construção de uma imagem positiva para sua empresa, o investimento em sustentabilidade ajuda sua empresa a estabelecer um diferencial de mercado. Ter uma logística reversa consolidada, por exemplo, demonstra que seu negócio está por dentro das tendências e à frente de quem ainda não têm esse processo estruturado.

O investimento em logística reversa também impacta na geração de receita para sua empresa. O gasto com a implementação dos processos tende a se pagar com a economia gerada pela devolução de produtos ao ciclo de negócios e pela reutilização de componentes no seu processo de produção.

No caso da logística reversa de pós-venda, um dos benefícios é a melhoria dos processos de produção e consequente redução de custos. Receber os produtos que apresentaram falhas ou que geraram insatisfação do cliente ajuda a identificar falhas no processo de produção e a melhorar a gestão de qualidade da sua marca. Além disso, uma comunicação adequada e ágil durante o processo ajuda a garantir a satisfação do cliente e aumenta as chances de novas vendas.

Como implantar a logística reversa na minha empresa?

O primeiro passo para implantar a logística reversa na sua empresa é montar um planejamento e traçar estratégias para as suas ações. Nesta etapa, é crucial a elaboração de um plano de resíduos sólidos que detalhe as etapas do ciclo de vida dos produtos e as opções para destinação dos resíduos gerados.

Além disso, o engajamento do consumidor final é indispensável para que a logística reversa funcione. Por isso, incentive e eduque seu cliente a descartar e devolver o seu produto de maneira adequada. Criar campanhas ou pontos de coleta e estabelecer parcerias com ONGs ou cooperativas facilita o recolhimento dos materiais.

A HP, por exemplo, possui o programa HP Planet Partners Brasil que permite que seus clientes solicitem pela internet a coleta de cartuchos e toners, além de oferecer pontos de entrega em lojas especializadas. O programa, presente em países do mundo todo, reciclou 15.400 toneladas de cartuchos em 2016.

A Natura é outro exemplo de empresa reconhecida por suas estratégias de sustentabilidade. A marca possui desde 2007 um programa de logística reversa que já destinou adequadamente cerca de 500 mil toneladas de resíduos. Além do recolhimento e reciclagem de embalagens, a empresa investe no uso de refis.

Para que esse tipo de ação funcione, é fundamental integrar toda a cadeia logística do seu negócio. Por isso, uma alternativa interessante para otimizar o retorno dos produtos tanto no pós-venda quanto no pós-consumo é integrar a rota de entrega e a rota de coleta, otimizando a rotina de distribuição dos seus produtos e aproveitando melhor a sua frota.

Conclusão

Da coleta de embalagens retornáveis à utilização de componentes reciclados em obras de infraestrutura, a logística reversa oferece possibilidades para empresas de diferentes segmentos e tamanhos. No caso de transportadoras e distribuidoras, esta área da logística surge como mais um nicho de supply chain a ser explorado no mercado.

Em todos os casos, o processo de implementação abarca o conhecimento e a análise de todo o processo logístico, como a capacidade de armazenamento e a roteirização da coleta dos produtos e/ou resíduos.

Cabe à sua empresa identificar o uso mais vantajoso da logística reversa, criando processos e iniciativas que resultem em ganhos para o meio ambiente e para a sociedade, além de impacto na reputação da sua marca e na redução dos custos de produção.

Quer saber mais sobre como as ferramentas de roteirização de entregas e comprovação de entregas podem ajudar na logística reversa? Converse com a gente.