fbpx

Após a greve, tecnologia auxilia transportadoras na entrega de mercadorias

Tempo de leitura: 3 minutos.

Com o fim da greve dos caminhoneiros, a maior preocupação das empresas é fazer com que os produtos cheguem em segurança, com a maior rapidez e economia de combustível possível

Após dez dias de paralisação, a vida parece começar a voltar ao normal no Brasil. Caminhoneiros de todo País já estão retomando suas atividades, mas o que as empresas e a população se perguntam é: e agora? Para onde vão esses caminhões? Qual o tempo estimado para as mercadorias chegarem em seus destinos? E, principalmente, com os postos de combustível ainda longe da normalidade no abastecimento, como garantir e economizar diesel para conseguir atender as demandas?

Segundo Geraldo Knorr, diretor de logística na Cassol Materiais de Construção, a expectativa é de que a regularização das entregas ocorra 48h após a desmobilização. “Esta recuperação rápida é fundamental para garantir a retomada das vendas e do atendimento dos nossos clientes. A gestão dos recursos está sendo feita com cuidado, pois mesmo com os efeitos da greve estamos otimistas e acreditando no crescimento do mercado.”

Segundo Marcos Bagnolesi, diretor comercial da Sequoia, a expectativa é de que a situação se estabilize ao longo desta semana. “Desde o começo da greve a empresa vem trabalhando em planos de contingência para que consiga escoar as mercadorias com a maior eficiência, o mais rápido possível. Faz parte deste plano a inteligência de otimização de cargas de acordo com suas origens e destinos, o acompanhamento do backlog de acordo com o tempo de expedição e a negociação com postos parceiros para abastecimento de Diesel atrelado ao monitoramento dos veículos em tempo real através de nossa torre de controle, a fim de garantir que todas as mercadorias cheguem aos destinos com segurança, conforme planejado e com a maior velocidade possível”, afirma.

Com milhares de caminhões e carretas nas rodovias, um dos pontos mais importantes é ter informações sobre a situação de cada um deles e de suas cargas. De acordo com Evilásio Garcia, CEO da AgileProcess, startup que desenvolve softwares especializados para logística, com o sistema é possível manter o controle sobre a operação, obtendo dados precisos sobre a situação dos veículos e das cargas.

Para ele, em momentos críticos como o atual, tão importante quanto a criação de um bom plano de contingência, é o acompanhamento do mesmo. Novos problemas devem ser tratados de imediato. “Minimizar o retorno de mercadorias é o objetivo que deve ser perseguido. Reentregas e revisitas significam mais prejuízos e afetam, ainda mais, a já comprometida capacidade de reação das operações. A dica é: considere o máximo de variáveis que você puder no momento da formação das cargas (horário de recebimento dos clientes, tempo de atendimento, velocidade de deslocamento e capacidade de carga dos veículos) para evitar que mercadorias embarcadas retornem ao depósito. O mantra deve ser: embarcou, entregou”.

Outro ponto importante, segundo Evilásio, é que com as vias liberadas, mais do que nunca é preciso um planejamento logístico para realizar as entregas e tentar economizar ao máximo combustível até que a situação se normalize. “Para isso, temos toda uma tecnologia que utiliza Inteligência Artificial para otimizar o uso da frota e gerar as melhores rotas para as entregas, para assim garantir a economia de tempo e combustível. O sistema tem a capacidade de ‘auto calibrar’ seus parâmetros mantendo informações sempre atualizadas, além de auxiliar cada motorista, mostrando o percurso com apoio de GPS”, afirma o CEO.

A rastreabilidade das entregas é feita em caminhões das transportadoras, mas também em outras terceirizadas. “A nossa solução permite que, de forma centralizada, a empresa tenha a viabilidade de acompanhamento de todas as suas entregas como se trabalhasse com uma transportadora apenas”, destaca Garcia.

Toda essa tecnologia facilita também a vida de quem está ansioso à espera de mercadorias. “Hoje, o consumidor é atualizado via SMS de cada trecho em que o caminhão percorre, sendo notificado desde o início do transporte até 15 minutos antes de a mercadoria chegar a porta da sua casa”, finaliza.

Leia também na E-commerce News